Prémio

EscOlar

AEPC2018

enviado a | 25.05.2018

Escola Básica dos 2º e 3º ciclos do Bairro Padre Cruz

Equipa: 9.ºA

a minha rua, o nosso patrimÓnio

Descrição

A terra é uma bola gigante ativada por rodas dentadas que se vão movendo, num compasso cíclico, com óbvio desgaste próprio de quem deu, dá e dará inevitáveis alterações na sua morfologia, situação e caraterísticas aos mais diversos níveis. Os seres humanos, seus habitantes, sempre souberam, ao longo dos tempos, tirar partido do que existe e, impulsionados por diversos motivos, sempre tiveram necessidade de transmitir uma mensagem. Quando os caçadores do período Paleolítico da Pré-História, representavam cenas de caça nas suas cavernas, desejavam ser bafejados pelos deuses por forma a que fossem sempre bem sucedidos nas suas caçadas, eram “guerreiros artistas”. Muitos dias, anos e séculos já passaram e, hoje, os “guerreiros urbanos” também fazem da representação artística um meio de comunicação privilegiado e de referência. Nas cavernas de Altamira, as tribos caçadoras representavam, nas suas paredes, cenas de caça do quotidiano das suas vidas, em pinturas policromáticas, abstratas ou figurativas e animais de um elevado realismo e significado. Nas ruas do nosso bairro,- BAIRRO PADRE CRUZ, CARNIDE, LISBOA - os novos “caçadores”, com outras exigências e crenças, continuam a representar, nas paredes das fachadas das suas habitações, cenas do quotidiano de um bairro. Por lá se encontram pinturas com múltiplos significados para os seus habitantes / moradores: homenagem a um jovem morto; mensagens significativas de cada um dos habitantes de um prédio somente entendidas no recato da sua intimidade; alusão às hortas que se espalham em terrenos anexos; o jovem e a idosa, em que cada um representa os dois lados do bairro; o novo e o velho, em que a mensagem mais importante reside na intenção de não se fecharem, de olharem, de se focarem num só olho do monóculo, vendo de dentro o que se passa para além do bairro. Algo liga as pinturas rupestres de Altamira e as pinturas murais da nossa rua / bairro. Apesar do desgaste que o movimento da terra cria nas rodas dentadas e por muito diferente que sejamos, a necessidade que os homens sempre tiveram em comunicar permanece inalterável, pois a vontade de transmitir e difundir uma mensagem, no traço, no volume, na textura, na figura, em suma, através da arte, permanece como essencial no decorrer dos tempos.

património nacional

Não foram submetidos ficheiros para este tema.

património europeu